O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado à ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões). Registrado no CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br

quarta-feira, 3 de maio de 2017

O grupo Hednir e a reconstituição do combate viking

 
Apresentamos mais uma matéria envolvendo os grupos recriacionistas nórdicos do Brasil, desta vez o pioneiro Hednir, de São Paulo. O grupo é responsável em grande parte pela divulgação do Living History e do Recriacionismo relacionado à Escandinávia da Era Viking em nosso país, servindo de modelo e inspiração para as novas gerações que vem se formando  (em parte pela popularidade dos vikings na mídia). Eles comentam também sobre a questão da atual vikingmania e como isso pode interferir no recriacionismo.


1. O Hednir foi o primeiro grupo recriacionista criado no Brasil, no ano de 2008. Quais foram os motivos da criação deste grupo e quais as principais dificuldades e problemas enfrentados nessa época, principalmente em relação ao panorama atual?

O Hednir foi criado em 2008 em um encontro de RPG (Não existiam eventos com temática medieval na época, então o mais próximo que conseguíamos de algo relacionado ao tema, eram eventos de RPG) que geralmente tinham a presença da antiga Medieval Brasil, hoje conhecida como Ars Medievalis, por ali fazíamos nosso ponto de encontro para vermos artigos fantasiosos e também artigos de diversos períodos medievais (que a Guilda dos Armoreiros confeccionava).
Na época, nós fazíamos parte de um fórum chamado Spirit Folk, este fórum era o point de cultura européia, eles compartilhavam de tudo, músicas, cultura e faziam encontros. Nós nos conhecemos por causa do fórum e nos encontramos no evento.
Foi aí que tivemos o primeiro dia de evento do Hednir e então, o Hednir foi criado. Não tinha nenhum aspecto de cultura viking, a priori o grupo foi criado com a temática (Grupo medieval fantasioso), um dos fundadores da época, que é um ótimo artesão, tinha bastante fascínio em cultura viking e ele contribuiu muito para o grupo seguir esse caminho. Foi depois de um tempo (estudando, aprendendo mais sobre a Era Viking) que decidimos começar com Viking reenactment, foi aí que qualquer artigo, vestimenta ou história fantasiosa começou a ser barrado, para seguirmos em frente somente com a fidelidade da cultura escandinava.
Sobre as dificuldades, na época eram inúmeras: cConseguir conteúdo para estudo era super difícil, conseguir pessoas para confeccionar artigos da época também não existiam, fazer uma bota? Isso era sonho de consumo, depois de anos de grupo, alguns membros fizeram e ainda assim não foi com a informação correta dos moldes da época, foi feita empiricamente olhando os calçados de grupos de reenactment europeu.
O desconhecimento da população perante a cultura nórdica, em eventos ninguém sabia o que era cultura nórdica da Era Viking, perguntavam se erámos espartanos ou guerreiros gregos, parece engraçado, mas em grandes quantidades repetitivas incomoda, principalmente em seguir adiante com o trabalho sério.
Hoje temos diversos artigos, grupos que estão compartilhando os acervos acerca de moldes e de como fazer algo especifico, temos diversos artesãos brasileiros se profissionalizando na área, tanto medieval fantasiosa, quanto em recortes históricos diversos.
 
 
 
2. Como o grupo reconstitui as técnicas e métodos de batalha dos nórdicos da Era Viking?
Esse foi o maior foco do clan, combate viking. Inicialmente os combates eram baseados somente com a intuição, pois material focado em combate viking era algo que sonhávamos em encontrar, porém como sou lutador jiu, boxe e mma (me dediquei muito em artes marciais) eu sempre senti que faltava um complemento aos combates (que é o meu foco de estudo), lutar intuitivamente pode até ser lúdico, mas para algo ficar mais profissional precisava ser baseado em estudos e relatos históricos.
Então começou as pesquisas, inicialmente pessoais, em combate viking. Primeiramente nós estudamos métodos posteriores à época viking: Hans Talhoffer, Fiore Dei Liberi e Codex Wallerstein.
Fizemos nossas interpretações desses Codex, repassando técnicas de espada de duas mãos para espadas de uma mão. Inicialmente não era o ideal, mas era um parâmetro para seguirmos e melhorarmos nossas técnicas de combate (Já que era o atual foco do grupo)
Com o tempo passando e nosso grupo ficando mais conhecido, tivemos contato com uma amiga da Suécia que lutava em eventos de Viking Reenactment na europa há alguns anos.
Aproveitamos a visita dela no Brasil e ela nos ensinou tudo que podia ensinar sobre técnicas de combates que ela usava em seus treinos com o grupo Sueco. Seguimos com contato e aprendendo com ela por um bom tempo, principalmente via internet. Depois vieram as técnicas complementares de Hammaborg.
Em 2014 obtive meu exemplar do livro "Viking Weapons and Combat Techniques" de William R Short também líder do Hurstwic uma amplo grupo que estuda cultura nórdica medieval.
Esse livro nos ajudou ainda mais a colocarmos foco de combate de acordo com estudos históricos, principalmente porque eles estudaram o combate à fundo, focando, inclusive nas estruturas ósseas de achados arqueológicos e analisando aonde eram desferidos a maioria de golpes para criar um estilo de luta que possa ser o mais próximo de como os vikings lutaram.
Então o nosso grupo faz um mix de diversos estilos que são vigentes em diversos países que defendem a possibilidade de como os vikings poderiam ter lutado. Também contamos com o suporte do grupo Einherjar de Reykjavik Islandia, geralmente sempre que temos dúvidas, nós entramos em contato com grupos amigos de fora do Brasil.
Acho importante ressaltar que esse tema é bastante debatido e não temos nenhum relato fiel de como eles realmente lutavam, portanto todas as técnicas e grupos aqui mencionados que ensinam, inclusive o Hednir tem a total consciência que tentamos fazer o mais provável que poderia ser como os vikings lutavam antigamente, porém nada é comprovado historicamente.
 




3. Como é o treinamento e as atividades dos membros do grupo?
Nosso grupo defende bastante o conceito de segunda família, tanto que para ingressarem novos membros, a convivência e dedicação são fundamentais.
Nossos principais encontros são feitos na academia em dia de treino, ele se estende além da academia pelos meios virtuais e sociais, além disso também realizamos encontros para produzir e estudar materiais históricos:  como tendas, escudos, armaduras, materiais de proteção, etc. Também nos encontramos em bares, eventos, shows, para sempre manter os laços da amizade firme.
O nosso grupo faz parte de uma academia de luta a Digable Gym. Nossos treinos são bastante pesados, ensinamos a base de luta desde o zero, portanto o membro vai ficar um bom tempo somente aumentando sua resistência física e psicológica, para em ao menos 8 meses estar pronto para ingressar na equipe básica de competição.
Nossas atividades são bem variadas, por muito tempo foram focadas apenas em lutas, porém fazem alguns anos que estamos inteiramente dedicados a fazer o "Living Reenactment" que é fazer uma imersão de história viva em nosso local de atuação.
Hoje possuímos um grupo de estudos, um grupo artístico, um grupo de artesanato da época e um grupo de combate. Todos eles fazem parte do todo, fazemos de maneira que todos se comuniquem e aprendam entre si. Também possuímos uma divisão do clan na Alemanha (
Heðnir Clán Þýskaland) que é formado por membros alemães que se dedicam bastante à cultura viking e sempre dividem informação conosco.
 




4. Atualmente estão sendo formados no Brasil diversos grupos recriacionistas nórdicos. Quais as dicas, conselhos e diretrizes que vocês podem fornecer a esses grupos para o seu futuro.
Recentemente estão surgindo de fato diversos grupos, eu gosto bastante de ver esse interesse pela Era Viking, mas tenho alguns toques positivos e negativos para os novos grupos.
Existem alguns grupos que estão levando muito a sério o trabalho, algo que dá gosto em todos que estudam e gostam do tema, principalmente para nós que começamos esse trabalho há muitos anos atrás, tentamos sempre correr e acompanhar a evolução de todos, isso é muito bom para o meio, para o pessoal que gosta da cultura nórdica e também não nos deixa ficar acomodados, essa evolução de grupos nos fez forçar uma grande mudança no que éramos, para o que estamos nos tornando agora.
Muita gente vê o crescimento como algo negativo, mas se o crescimento for algo que mude as tendências, gere mais conhecimento e atividades, na verdade ele se torna uma grande contribuição, que é o que a maioria dos grupos novos estão fazendo, algo prazeroso de se ver!
Porém existem os contras, como mencionado em uma questão anterior, antes lidávamos com o desconhecimento total da Era Viking, hoje lidamos com um conhecimento raso digno de diploma de rede social, isso para todos os grupos sérios se torna um grande problema, principalmente porque, uma pessoa com essa atitude nociva pode queimar o trabalho sério de qualquer grupo brasileiro.
Hoje, não existem desculpas para não se informar, existem páginas que citam referencias bibliográficas, as informações estão praticamente de graça, quando não estão de graça, estão em preços bem acessíveis, o NEVE (vide a publicações que fazem e os livros publicados) possuí bastante material para ajudar qualquer pessoa que queira se informar.
As principais dicas aos novos grupos são: estudem muito, não saiam falando e agindo como personagens vikings do seriado, antes de falar algo com certeza, leiam várias fontes, fica mais bonito falar pouco e correto, do que lotar os meios de comunicações com palavras que não procedem.
Definam um recorte histórico para seu grupo, baseado nisso vocês conseguem definir a vestimenta e fazer trabalhos mais aprofundados no recorte que vocês querem recriar.
Estejam preparados para intrigas internas, grupos de pessoas uma hora ou outra dão problemas de opiniões, terão membros que entrarão e sairão pelos mais diversos motivos, estejam sempre preparados para agir conforme a situação e não desanime por causa disso, os anos vão te ensinar muito sobre convivência com pessoas, vocês irão agradecer, aprender sobre comportamento humano criando um grupo.
Não tenham vergonha de perguntar para grupos antigos ou grupos de fora do país, todo mundo nesse meio adora ajudar, após conseguir a informação e aprender com qualquer grupo, seja humilde e tenha caráter para mencionar o grupo que lhe ajudou no começo. Você acha que não, mas todos estão de olho nisso, não seja ingrato.
Algo muito importante, reenactment de qualquer período histórico é bem diferente de adaptar o período moderno ao do passado, não fique chateado(a) em saber que não existiam exércitos de Shieldmaidens no passado, pensem que recriar não é criar, você vai copiar um período determinado, portanto as portas da criatividade estão fechadas, você tem uma lista a seguir, e seguir com determinação. Caso você seja uma pessoa muito criativa e sofra muito em seguir corretamente um período histórico, não se preocupe, você pode fazer qualquer tipo de criação fantasiosa baseada em qualquer determinado tema, porém, saiba dizer que você está fazendo uma adaptação fantasiosa.
Nós do Hednir desejamos muita boa sorte a todos novos grupos surgindo no país, entrem em contato conosco, vamos marcar um encontro, vamos unir essa galera que curte cultura viking e reenactment, venham em um dos nossos treinos, serão muito bem tratados por todos nós!
E para finalizar, gostaria de agradecer ao Johnni a oportunidade de fazermos esta matéria, nosso grupo todo gosta muito do trabalho do NEVE, que é uma mina de conhecimento para todos apaixonados pela cultura nórdica da Era Viking!

 
Matéria do Hednir para o Buzzfeed, clique aqui.
 
 
Vídeos de treinos do Hednir, clique aqui.
 
 
Página do Hednir no facebook, clique aqui.
 
 
E-mail para contato: mspalante@live.com