O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado ao The Northern Women’s Art Collaborative (Universidade de Brown, EUA) e
à ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões). Vinculado ao Programa de Pós Graduação em Ciências das Religiões da Universidade Federal da Paraíba. Registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br


sábado, 4 de março de 2017

Chamada para dossiê: Estudos Nórdicos Medievais

 
 
Chamada para dossiê: Estudos Nórdicos Medievais
Roda da fortuna: Revista eletrônica sobre Antiguidade e Medievo, qualis B2, ISSN: 2014-74030
Prazo para envio: 30 de abril de 2017.
 
Escandinávia. Uma região que envolve uma grande carga histórica e cultural, mas tradicionalmente tratada como marginal ou periférica na Medievalística de forma geral. No entanto, há algumas décadas, o interesse por essa região tem se ampliado de forma impressionante pelo mundo, e os estudos nórdicos têm crescido especialmente nos países de língua neolatina. Uma das últimas publicações do renomado medievalista Jacques Le Goff, por exemplo, foi um prefácio para a edição francesa de Viking Age Iceland [1].

A busca pelas narrativas das sagas islandesas, dos mitos nórdicos e das Eddas, da história das explorações nórdicas, entre outros aspectos, ultrapassa interesses unicamente escandinavistas e germanistas. A Escandinávia da Era Viking vem tornando-se cada vez mais popular devido ao cinema e à televisão, despertando um vívido interesse nas novas gerações de pesquisadores. Para captar essas tendências sociais e acadêmicas, empregamos uma noção abrangente de Escandinávia, incluindo as regiões da Islândia, Finlândia e as Ilhas Féroe [2].

O presente dossiê tem como interesse a expansão e os confrontos, as relações e o intercâmbio histórico e cultural dos povos nórdicos com outras áreas geográficas do mundo, como o Mediterrâneo, o Báltico, o Leste Europeu, o Oriente Médio, as Américas e as Ilhas Britânicas [3]. As propostas podem tratar de temas da Literatura, História, Iconografia, Arqueologia, Mitologia e Religiosidade, Política e Cultura. O período abarcado pode envolver o início das migrações germânicas (século IV d.C.) até o apogeu da Liga Hanseática (séc. XV d.C.). A revista também aceitará contribuições acerca das ressignificações, representações e/ou imaginários que têm a Escandinávia (ou os temas nórdicos) como objeto na escrita da História, na Arte, na mídia e no entretenimento, desde o Medievo até os dias atuais.

As submissões podem adentrar estudos comparativos, História do Imaginário, História Social e Cultural, análises literárias e linguísticas, traduções, análise do discurso, cultura material e visual, hibridismo cultural, História das Ideias e Política, entre outras áreas. Desse modo, este dossiê (2017/1) da Revista Roda da Fortuna tem o propósito de reunir pesquisas que envolvam diferentes perspectivas acerca da Escandinávia Medieval e dos estudos nórdicos.

[1] BYOCK, Jesse. L´Islande des Vikings. Paris: Aubier, 2007.
[2] SAWYER, Birgit; SAWYER, Peter. Medieval Scandinavia. Minneapolis/London: University of Minnesota Press, 2006, p. IX-X.
[3] BRINK, Stefan (org.). The Viking World. London: Routledge, 2012, p. 1-3.