O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado à ABHR, VIVARIUM e ABREM. Registrado no CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br

sábado, 4 de março de 2017

Chamada para dossiê: Estudos Nórdicos Medievais

 
 
Chamada para dossiê: Estudos Nórdicos Medievais
Roda da fortuna: Revista eletrônica sobre Antiguidade e Medievo, qualis B2, ISSN: 2014-74030
Prazo para envio: 30 de abril de 2017.
 
Escandinávia. Uma região que envolve uma grande carga histórica e cultural, mas tradicionalmente tratada como marginal ou periférica na Medievalística de forma geral. No entanto, há algumas décadas, o interesse por essa região tem se ampliado de forma impressionante pelo mundo, e os estudos nórdicos têm crescido especialmente nos países de língua neolatina. Uma das últimas publicações do renomado medievalista Jacques Le Goff, por exemplo, foi um prefácio para a edição francesa de Viking Age Iceland [1].

A busca pelas narrativas das sagas islandesas, dos mitos nórdicos e das Eddas, da história das explorações nórdicas, entre outros aspectos, ultrapassa interesses unicamente escandinavistas e germanistas. A Escandinávia da Era Viking vem tornando-se cada vez mais popular devido ao cinema e à televisão, despertando um vívido interesse nas novas gerações de pesquisadores. Para captar essas tendências sociais e acadêmicas, empregamos uma noção abrangente de Escandinávia, incluindo as regiões da Islândia, Finlândia e as Ilhas Féroe [2].

O presente dossiê tem como interesse a expansão e os confrontos, as relações e o intercâmbio histórico e cultural dos povos nórdicos com outras áreas geográficas do mundo, como o Mediterrâneo, o Báltico, o Leste Europeu, o Oriente Médio, as Américas e as Ilhas Britânicas [3]. As propostas podem tratar de temas da Literatura, História, Iconografia, Arqueologia, Mitologia e Religiosidade, Política e Cultura. O período abarcado pode envolver o início das migrações germânicas (século IV d.C.) até o apogeu da Liga Hanseática (séc. XV d.C.). A revista também aceitará contribuições acerca das ressignificações, representações e/ou imaginários que têm a Escandinávia (ou os temas nórdicos) como objeto na escrita da História, na Arte, na mídia e no entretenimento, desde o Medievo até os dias atuais.

As submissões podem adentrar estudos comparativos, História do Imaginário, História Social e Cultural, análises literárias e linguísticas, traduções, análise do discurso, cultura material e visual, hibridismo cultural, História das Ideias e Política, entre outras áreas. Desse modo, este dossiê (2017/1) da Revista Roda da Fortuna tem o propósito de reunir pesquisas que envolvam diferentes perspectivas acerca da Escandinávia Medieval e dos estudos nórdicos.

[1] BYOCK, Jesse. L´Islande des Vikings. Paris: Aubier, 2007.
[2] SAWYER, Birgit; SAWYER, Peter. Medieval Scandinavia. Minneapolis/London: University of Minnesota Press, 2006, p. IX-X.
[3] BRINK, Stefan (org.). The Viking World. London: Routledge, 2012, p. 1-3.