O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado à ABHR, VIVARIUM e ABREM. Registrado no CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

TESOURO DA IDADE DO BRONZE É ENCONTRADO NA DINAMARCA


Sinuoso Tesouro Nórdico

Por Jack Martinez, em 05 de outubro de 2015

Tradução de Ricardo Menezes (NEVE), em 15 de outubro de 2015

Espirais de ouro (Cortesia do Museu Nacional Dinamarquês)

Arqueólogos escavaram diversas espirais de ouro atípicas em um sítio na Zelândia, região da Dinamarca oriental. Pesquisadores do Museu Nacional Dinamarquês encontraram 2.000 dos delicados artefatos helicoidais, concentrados em dois depósitos, preservados sob as camadas de solo arado.

 Flemming Kaul, do Museu Nacional Dinamarquês, diz que não é claro o significado das espirais ou para que eram utilizadas, mas seu sentido era, provavelmente, ritualístico. Aproximadamente 300 deles foram encontrados próximos a fragmentos que sugerem que foram colocados em um recipiente votivo de madeira. Datados da Idade do Bronze Nórdica Tardia, entre 900 e 700 a.C., quando a cultura local cultuava um deus solar, segundo Kaul.

No século XIX, vasos de ouro esculpido foram encontrados no local, e dois anos atrás amadores encontraram braceletes de ouro nas proximidades. Esses achados sugerem que a região foi um centro de riqueza. “Nós consideramos essa área, a área mais rica em ouro da Escandinávia”, disse Kaul, “e um centro para rituais e para religião”.