O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado à ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões). Registrado no CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br

sábado, 14 de junho de 2014

MITOS NÓRDICOS EM ESPANHOL: FONTES E ESTUDOS

Prof. Dr. Johnni Langer (UFPB/NEVE)

Uma das maiores dificuldades no estudo da mitologia nórdica é a falta de títulos traduzidos em língua portuguesa. Para os estudantes e pesquisadores que se iniciam nesta área e não tem domínio instrumental em inglês, alemão ou línguas escandinavas, os problemas aumentam. Em compensação, existem muitos títulos acadêmicos publicados em espanhol que podem auxiliar os jovens pesquisadores ou interessados neste fascinante tema. Eles podem ser adquiridos facilmente em importadoras (Livraria Cultura, Letra Viva) ou grandes livrarias do Brasil.


FONTES PRIMÁRIAS
 (Traduções do nórdico antigo ao espanhol)




Edda Mayor, edição de Luis Lerate. Madrid: Alianza Editorial, 2009. A mais importante fonte da mitologia nórdica, em uma tradução elegante e sofisticada, contendo ampla diversidade de referências e notas. A reunião dos poemas éddicos segue a tendência padrão da maioria das traduções contemporâneas.






Edda Menor, de Snorri Sturluson. Edição de Luis Lerate. Madrid: Alianza Editorial, 2004. Excelente trabalho editorial, muito superior às traduções da Edda de Snorri de Enrique Bernárdez e Jorge Luis Borges. Constitui a segunda mais importante fonte primária da mitologia escandinava, apesar de suas diversas reinterpretações e sistematizações cristãs.



Poesía Antiguo-nórdica, edição de Luis Lerate. Madrid: Alianza Editorial, 1993. Reunião de traduções da poesia éddica e escáldica. Algumas são fontes primárias para o estudo dos mitos nórdicos, como Darraðarsljóð, Ragnarsdrápa, þórsdrápa e Haustlöng. O livro também contém trechos traduzidos do Háttatal, a quarta parte da Edda Menor e ausente de praticamente todas as edições contemporâneas.



La saga de los Ynglingos, de Snorri Sturluson. Madrid: Miraguano, 2012. Tradução de Santiago Ibáñez Lluch. Os dez primeiros capítulos desta saga islandesa contém informações cruciais ao estudo das divindades nórdicas, especialmente de Odin.



História Danesa, de Saxo Gramático, tradução de Santiago Ibáñez Lluch. Valencia: Tilde, 1999. Importante fonte primária, apresentando algumas versões diferentes de vários mitos nórdicos, como a morte de Balder, entre outros.




Saga de Hervör, edição de Mariano Gonzalez-Campo. Madrid: Miraguano, 2003. Saga lendária contendo a narrativas das mais famosas donzelas do escudo da literatura nórdica e da espada mítica Tyrfingr.





La saga de Fridthjóf el valiente y otras sagas islandesas, edição de Santiago Ibáñez Lluch. Madrid: Miraguano Ediciones, 2009. Coletânea com a mais famosa saga lendária (depois da Saga dos Volsungos). Para uma resenha detalhada em português desta edição, clique aqui.



Sagas islandesas de los tiempos antiguosedição de Santiago Ibáñez Lluch. Madrid: Miraguano Ediciones, 2007. Reunião de sagas lendárias com diversos temas influenciados pela mitologia e folclore nórdico, como gigantas, feiticeiras, berserkir, espadas e objetos mágicos, entre outros.



FONTES SECUNDÁRIAS 
(ESTUDOS ANALÍTICOS)



Los mitos germánicos, de Enrique Bernárdez. Madrid: Alianza Editorial, 2002 e 2010. 328p. Um dos mais atualizados e detalhados manuais sistematizadores da mitologia nórdica. Para uma resenha completa em português, clique aqui.



Los dioses de los germanos, de Georges Dumézil. México: Siglo Veintiuno, 1990. Clássico fundamental dos estudos nórdicos. Nesta obra, o mitólogo francês analisa a mitologia escandinava a partir de sua teoria da tripartição, com uma estupenda erudição e idéias influentes até nossos dias.



El destino del guerreiro, de de Georges Dumézil. México: Siglo Veintiuno, 2003. Outro clássico de Dumézil, aprofundando a questão das deidades marciais indo-européias.




Mitos nórdicos, de Raymon Page. Barcelona: Akal, 1992. Excelente manual introdutório, também traduzido no Brasil pela Centauro neste mesmo ano.