O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado ao The Northern Women’s Art Collaborative (Universidade de Brown, EUA) e
à ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões). Vinculado ao Programa de Pós Graduação em Ciências das Religiões da Universidade Federal da Paraíba. Registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br


segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

ASTRONOMIA E MITOS CELESTES ANGLO-SAXÕES: UMA BIBLIOGRAFIA

 


ASTRONOMIA E MITOS CELESTES ANGLO-SAXÕES: UMA BIBLIOGRAFIA

Prof. Dr. Johnni Langer (UFPB/NEVE)

Nas recentes investigações envolvendo História da Astronomia e Etnoastronomia da Europa medieval, um dos campos temáticos mais pesquisados são os registros realizados na Inglaterra anglo-saxônica, especialmente as narrativas de Beda e a Crônica anglo-saxônica. Estes registros envolvem computo do tempo e calendário, observações de fenômenos atmosféricos (halos solares e lunares, auroras boreais, parélios solares e lunares) e astronômicos (eclipses solares e lunares, passagens de meteoros e cometas, conjunções entre planetas, Lua Sol e estrelas, ocultações de planetas e estrelas pela Lua, etc), associados ou não a mitologias celestes. Esses registros são extremamente importantes para diversos estudos, desde o conhecimento técnico e científico do período, assim como para uma melhor compreensão dos referenciais religiosos, míticos e imaginários da Europa Alto Medieval. E além disso, são importantes elementos comparativos para o estudo etnoastronômico de outras áreas próximas e do mesmo período, como a Escandinávia e o mundo báltico-eslavo.



Constelações de Argo e Cetus, realizada por um artista anglo-saxão no estilo da escola de Winchester (Harley 2506, f. 42, século X).


A seguir elencamos algumas publicações acadêmicas envolvendo o tema.



HARKE, Heinrich. Astronomical and atmospheric observations in the Anglo-Saxon Chronicle and Bede. The Antiquarian Astronomer (2012), Bd. 6, S. 34-43. Disponível aqui.


WILTON, Dave. Astronomy in anglo-Saxon England. Teach Astronomy, 2011. Disponível aqui.


BEARD, Daren. Astronomical references in the Anglo-Saxon Chronicles. Journal of the British Astronomical Association, Vol. 115, No. 5, p. 261. Disponível aqui.


BRAZELL, Owen. Astronomical observations in the Anglo-Saxon Chronicle.  Journal of the Royal Astronomical Society of Canada Newsletter, Vol. 78, 1984, pp. 56-57. Disponível aqui.


MARDON, E. & MARDON, A. The eleven observations of comets between 687 AD and 1114 AD recorded in the Anglo Saxon Chronicle. Asteroids, Comets, Meteors 1991, pp. 385-393. Disponível aqui.


KINDER, A. J. The progress of Astronomy in england - earliest times to 1558. Journal of the British Astronomical Association, vol.100, no.4, p.182-190. Disponível aqui.


JOHNSON, S. J. On the Eclipses mentioned in the Anglo-Saxon chronicles. Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, Vol. 33, p.402. Disponível aqui.


LYNN, W. T. Eclipses mentioned in the Anglo-Saxon Chronicle. The Observatory, Vol. 21, p. 206-207 (1898). Disponível aqui.

DALL´UOMO, Umberto. Latin terminology relating to aurorae, comets, meteors, and novae. Journal for the History of Astronomy, Vol. 11, 1980, pp. 10-27. Disponível aqui.


CHATFIELD, Christopher. The Dark Ages. The gallery of natural phenomena: the earth, the sea, the sky - and beyond, 2013. Disponível aqui.


WILTON, Dave. Astronomy in Anglo-Saxon England, 2013. Disponível aqui.




Registro de cometa ou fenômeno atmosférico, Omne Bonum, século XIII.