O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet.
Parceiro do LOFOTR VIKING MUSEUM (Noruega); Centre for Experimental Archaeology and Material Culture (Universidade de Dublin, Irlanda); The Northern Women’s Art Collaborative (Universidade de Brown, EUA), ABHR e PPPGCR-UFPB. Credenciado no CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Primeiro estudo brasileiro sobre Vikings completa 17 anos


 

Em julho de 2001 era publicado o primeiro estudo acadêmico nacional sobre os vikings. A edição número 25 da revista Varia Historia, vinculada ao departamento de História da Universidade Federal de Minas Gerais, publicou o artigo Fúria odínica: a criação da imagem oitocentista sobre os vikings, de autoria de Johnni Langer e Sérgio Ferreira dos Santos.

Apesar da academia brasileira desde o século XIX e XX ter publicado alguns ensaios sobre Escandinávia Medieval, era a primeira vez que se utilizava o conceito de vikings. Os historiadores do império empregaram os termos nórdicos e escandinavos, prática também usual entre alguns estudos brasileiros sobre Eddas e sagas durante a primeira metade do século XX. Também durante a década de 1970 surgiu o livro de popularização Vikings, os senhores do mar, escrito pelo jornalista brasileiro Roberto Pereira de Andrade, mas sem pretensões acadêmicas.

O artigo Fúria odínica teve como meta principal a análise das origens modernas do imaginários sobre os povos nórdicos, concentrando essencialmente a formação artística e literária que os vikings obtiveram durante o Oitocentos. Como consequência desta pesquisa, posteriormente foi publicado o artigo The origins of the imaginary viking, também de autoria de Johnni langer, no periódico sueco Viking Heritage (edição 2, 2002) e o capítulo Rêver son passé, no livro L´Europe des Vikings (Paris: Éditions Hoebeque, 2004). Com grande repercussão internacional, o artigo sueco também foi autorizado para ser traduzido pelo periódico russo Pravda.

Além de sua repercussão internacional com a tradução (ver detalhes aqui), o artigo pioneiro da revista Varia Historia foi importante para a implantação de uma nova geração de pesquisadores e escandinavistas no Brasil, que posteriormente iriam se reunir em torno do NEVE, Núcleo de Estudos Vikings e Escandinavos, criado em 2010.

O artigo Fúria odínica pode ser acessado aqui.