O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado ao The Northern Women’s Art Collaborative (Universidade de Brown, EUA) e
à ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões). Vinculado ao Programa de Pós Graduação em Ciências das Religiões da Universidade Federal da Paraíba. Registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br


terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

As sagas islandesas e o NEVE: retrospectiva bibliográfica


 
As sagas islandesas constituem algumas das mais populares e importantes fontes para o estudo da Escandinávia Medieval. Desde que foi constituído, o grupo NEVE vem se dedicando a diversas pesquisas envolvendo as sagas islandesas, desde aspectos literários à representações sociais, culturais, religiosas e políticas do mundo nórdico. a seguir elencamos algumas publicações sobre o tema, escritas por membros do NEVE.
 
 
ARTIGOS:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


LIVROS:
 

AYOUB, Munir Lutfe. Godkynningr: o rei escandinavo como ponte entre deuses e homens. Alemanha: Novas Edições Acadêmicas, 2014.
O autor analisa o tema da realeza sagrada, comparando fontes arqueológicas e sagas dos reis. 
 
O livro é disponível aqui.

 

MIRANDA, Pablo Gomes de. Poder e sociedade na Noruega Medieval. São Paulo: Agbook, 2011.


Tendo como principal fonte a Haralds saga híns hárfagra, Miranda analisa as conexões ideológicas das sagas reais com a sociedade nórdica medieval. A narrativa de Harald cabelos belos, rei norueguês que viveu entre os séculos IX e X, é uma das mais famosas sagas integrantes da Heimskringla, épico literário escrito durante o século XIII. Miranda também descortina ao longo da pesquisa outras questões fundamentais nos estudos escandinavos: algumas de cunho tradicional, como as conexões e relações entre história e literatura, a oralidade e o documento escrito; outras mais recentes, como a questão da autoria das sagas, a relação entre memória e história, a recepção social e a audiência das narrativas orais e escritas durante o medievo.