O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado ao The Northern Women’s Art Collaborative (Universidade de Brown, EUA) e
à ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões). Vinculado ao Programa de Pós Graduação em Ciências das Religiões da Universidade Federal da Paraíba. Registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br


segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Eclipses solares e o fim do mundo nórdico

 
 
No dia 21 de agosto em grande parte dos Estados Unidos será visível um raro e espetacular fenômeno da natureza: um eclipse total do Sol, que durante o seu apogeu fará com que o firmamento celeste fique visível de dia, sendo possível observar estrelas e planetas durante alguns minutos. O fenômeno também será observável no Brasil, mas somente em algumas regiões e como eclipse parcial, cobrindo apenas uma parte do disco solar (veja aqui os horários e locais de visibilidade).
Na Escandinávia pré-cristã os eclipses totais do Sol e Lua foram associados à figura do lobo e possivelmente eram interpretados como prenúncios negativos sobre o futuro. No estudo Cometas, eclipses e Ragnarok: uma interpretação astronômica da escatologia nórdica pré-cristã o historiador Johnni Langer analisa os medos e as mitologias envolvendo os eclipses no mundo nórdico da Era Viking.